sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Justiça determina transferência de Geddel após ‘sinais de depressão’

A Justiça do Distrito Federal determinou que o ex-ministro Geddel Vieira Lima saia da cela de segurança máxima onde está detido sozinho, no Complexo da Papuda, e seja transferido para outra cela, com a companhia de outro detento, na mesma unidade prisional. A decisão acatou pedido feita pela defesa do ex-ministro, com a alegação de que ele apresentava ‘sinais de depressão’, baseada em um laudo médico. A informação é do Correio.

A juíza também declarou que, mesmo com a transferência, vão ser adotadas “providências aos atendimento das necessidades médicas do custodiado e para o resguardo” da integridade física de Geddel.

Transferência – Geddel foi transferido para a cela de segurança máxima em julho após denúncias de que ele e o ex-senador Luiz Estevão, também detido na Papuda, tinham regalias nas celas. A Polícia Civil do Distrito Federal encontrou barras de chocolate, anotações que seriam de Geddel e pelo menos cinco pendrives – supostamente de Luiz Estevão.

Depois da transferência, a defesa do ex-ministro chegou a pedir que a prisão preventiva que mantém ele detido fosse convertida em prisão domiciliar.

Depoimento – Tanto Geddel quanto o irmão dele, o deputado federal não reeleito Lúcio Vieira Lima (MDB), se mantiveram em silêncio durante depoimento que prestaram ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta semana, no processo que investiga o “bunker” atribuído ao ex-ministro, localizado em Salvador, onde foram apreendidos R$ 51 milhões. Do Bahia.Ba.