Clique no seu signo e veja o que os astros revelam pra você




domingo, 5 de março de 2017

Mulheres são as principais vítimas de doenças cardiovasculares

No mês em que é comemorado o Dia Internacional da Mulher (8 de março), o cirurgião cardiovascular José Lima Oliveira Júnior, médico do InCor e integrante da Comissão de Remoção de Órgãos da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO), faz um alerta sobre o aumento no número de casos de doenças cardiovasculares em mulheres e aponta quais são os cuidados para se prevenir. Para se ter uma ideia, cerca de 40% de todos os casos de infarto agudo do miocárdio ocorrem no grupo feminino.

Doutor Lima explica que os principais fatores da incidência de doenças cardiovasculares em mulheres são ambientais e culturais, pois elas adquiriram um estilo de vida mais urbano, acumulando uma série de agentes de riscos que antes eram mais comuns aos homens. Elas fumam mais e ficam mais estressadas, por exemplo.


Outro ponto observado pelo cirurgião é que a associação do uso de anticoncepcional oral e tabagismo aumenta em quase três vezes o risco de desenvolvimento de alguma doença cardiovascular quando comparado às mulheres que não usam anticoncepcional oral e fumam, simultaneamente. Além disso, o risco de contrair essas doenças aumenta na menopausa por causa da perda da proteção do estrogênio, o hormônio que protege o sistema cardiovascular. Diante desse cenário, o doutor Lima alerta para a importância de ter hábitos de vida saudáveis como forma de prevenir as doenças cardiovasculares.

Panorama das doenças cardiovasculares nas mulheres
No Brasil o infarto agudo do miocárdio mata 200 mulheres por dia;
Há 10 anos era registrado um caso de doença cardiovascular em mulheres para 4 a 5 casos entre os homens. Hoje essa relação é de quase 1 para 1;
O risco de morte por problemas cardiovasculares é 7,5 vezes maior em mulheres diabéticas;
Três em cada 10 mulheres brasileiras morrerão em decorrência de infarto agudo do miocárdio.

Como se prevenir:
Consultar um cardiologista, no mínimo, uma vez por ano;
Incorporar no dia a dia a prática de atividade física pelo menos três vezes por semana durante, pelo menos, 1 hora;
Controlar o estresse do dia a dia;

→ Cuidar da alimentação e evitar o consumo excessivo de alimentos ricos em gordura de origem animal e ricos em sódio. Incorporar cereais, gordura ricas em ômega 3, que são alimentos cardioprotetores;
Fazer o diagnóstico precoce de hipertensão, diabetes, visitando seu cardiologista uma vez por ano a partir dos 40 anos, se você não tiver histórico familiar, ou a partir dos 35 anos, se tiver o histórico.
Do Acorda Cidade