Clique no seu signo e veja o que os astros revelam pra você




sábado, 15 de outubro de 2016

Mãe faz petição para poder colocar nome do filho natimorto na certidão

Luciana Krull, do Rio de Janeiro, criou um abaixo assinado que pede o direito de registro de certidão de crianças que nasceram sem vida

O termo “natimorto” é atribuído às trágicas situações em que o feto morre dentro do útero ou durante o trabalho de parto. Para se encaixar nesse conceito, a gestação deve ter mais de 20 semanas, com feto de estatura igual ou superior a 25 centímetros ou peso corporal igual ou superior a 500 gramas.

Apesar de saírem do útero já sem vida, os bebês natimortos precisam ser registrados em cartório, como qualquer ser humano. A diferença é que não é autorizado, por lei, que tenham nome na certidão, em alguns estados. No lugar de “Maria”, “João” ou “José”, o documento traz escrita apenas as palavras: “natimorto de (nome dos pais)”.

Luciana Krull, do Rio de Janeiro, sabe bem como é passar por essa desconfortável situação. “Meu marido foi ao cartório e, ao voltar, me mostrou a certidão da nossa Lara. Fiquei em choque. Não constava o nome da minha filha. Havia somente a inscrição “natimorta de (nome da mãe)”.

O nome dela já estava escolhido há anos, muito antes da sua concepção! Agora ela não existiu para a sociedade? É natimorta de sua mãe? Apenas isso? Já não basta toda culpa que carregamos, teria mais esta! Como ficaria sua lápide?”, questiona a mãe.

Luciana Krull e o marido, quando estavam esperando pela pequena Lara
Krull iniciou portanto um abaixo assinado que já conta com 73.985, para mudar este fato. Segundo ela, a advogada Carolina Costa a inspirou. “No estado de São Paulo, por causa de uma norma da Corregedoria do Tribunal de Justiça, é possível colocar o nome do bebê na certidão de natimorto. Se a Lei é Federal, por quê os outros Estados não poderiam se inspirar em São Paulo?”, diz.

Para concluírem a meta e fazer com que a Defensoria do Estado do Rio de Janeiro analise a proposta, é preciso um total de 75.000. Acesse o site para participar.
 
Do Metrópoles

Nenhum comentário: